VER CARRINHO
Kit de madeira para envelhecer bebidas

Kit de madeira para envelhecer bebidas

cod. KEDID10

O kit de madeira para envelhecer bebidas é uma caixa com 10 diferentes madeiras, com tosta média: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá e Putumuju.

No Mapa da Cachaça trabalhamos com a tanoaria Dornas Havana para conduzir nossos experimentos para envelhecer bebidas, especialmente cachaça. Além da preocupação com a sustentabilidade, considerando que muitas madeiras brasileiras estão em extinção, os responsáveis pela tanoaria também produzem dornas e barris de qualidade superior, que ainda não encontramos equivalentes no mercado.

Mais recentemente, motivados pela grande diversidade de madeiras utilizadas na tanoaria brasileira e suas possibilidades de contribuir para as cores, aromas e sabores de bebidas, a Dornas Havana criou um kit de madeira para envelhecer bebidas.

Além do já conhecido Carvalho, o kit de madeira “Seleção de Madeiras”, também apresenta madeiras brasileiras: Amburana, Bálsamo, Castanheira, Cumaru,, Ipê, Jequitibá e Putumuju e outras exóticas: Eucalipto e Jaqueira.

O que é kit para envelhecer bebidas em casa?

O kit “Seleção de Madeiras” é uma caixa com 10 diferentes madeiras, com tosta média. As madeiras são cortadas na forma de dadinhos de 1 cm de lado e estão divididos por madeiras em saquinhos com cerca de 100 (cem) unidades em cada.

Aqui no Mapa da Cachaça utilizamos os dadinhos de madeira para envelhecer cachaça, mas qualquer estilo de bebida pode ser maturado na madeira (pimentas, cervejas, vinhos, azeites). Os dadinhos funcionam como uma forma de envelhecimento acelerado, agilizando a interação da bebida com a madeira conseguindo resultados sensoriais mais rápidos.

O que é envelhecimento acelerado?

A prática de envelhecimento acelerado consiste em colocar pedaços de madeiras infusionados na bebida alcoólica podendo, em um curto período de tempo, trazer resultados semelhantes ao armazenamento por meses ou anos em dornas e barris.

No entanto, nada se compara ao envelhecimento natural da bebida em barris ou dornas – existe uma relação entre tempo e interação da bebida com a madeira e o oxigênio que é particular do processo de interação em barris, tonéis, paióis e dornas.

Quantidade de cubos e tempo de extração?

Fazemos uma relação entre teor alcoólico, quantidade de dadinho por litro e tempo de maturação do dadinho na bebida.

  • Bebidas com teor alcoólico abaixo de 6% (cerveja): De 5 a 6 dadinhos por litro por no mínimo 30 dias
  • Bebidas com teor alcoólico acima de 6% (cerveja): De 3 a 4 dadinhos por litro por no mínimo 3 dias
  • Bebidas com teor alcoólico entre 11 a 15% (vinho e coquetéis): De 4 a 5 dadinhos por litro entre 10 a 15 dias.
  • Bebidas com teor alcoólico entre 38 a 48% (cachaça): De 3 a 4 dadinhos por litro entre 15 a 30 dias.

Atenção:

  • Quanto maior o teor alcoólico mais intensa será a extração.
  • Cada madeira se comporta de maneira distinta com a base alcoólica, ou seja, cada madeira aporta uma cor, um aroma e um sabor distinto, e em intensidades diferentes.
  • Cuidados com as bebidas fermentadas: Para garantir o controle microbiológico e a higienização dos dadinhos, recomendamos colocá-los em água a 80 ºC por 15 minutos. Em caso do uso dos dadinhos em destilados esse cuidado não é necessário

Conheça mais as madeiras presentes no kit usadas para envelhecer cachaça

Dadinhos de madeira para envelhecer cachaça

Amburana (Amburana acreana):

Muito marcante, a amburana em poucos dias já aporta características sensoriais. É uma madeira muito perfumada (baunilha, canela), oferecendo aromas florais (flores brancas) e amadeirados – é necessário atenção para a intensidade não comprometer o equilíbrio sensorial – bebidas com muita presença de amburana tem aquele aroma característico de “armário de vó”. Quando tostada (no kit ela é tosta média), entrega muita doçura, especiarias e suavizando sua intensidade tânica.

Bálsamo (Myroxylim balsamum)

Madeira muito usada para envelhecimento de cachaça no norte de Minas Gerais, como a famosa cidade de Salinas. O bálsamo traz muita especiaria (rico em eugenol), frutado e tânico. É uma madeira resinosa, que, assim como a amburana, merece atenção e períodos mais curtos de envelhecimento acelerado para não ficar intragável. Sua tosta reduz a intensidade tânica e eleva seu dulçor em equilíbrio com as especiarias (cravo).

Carvalho (Quercus spp.)

O carvalho é a madeira universalmente usada pela tanoaria clássica para envelhecimento de fermentados e destilados (tequila, rum, uísque, vinho, cerveja, cachaça). A madeira traz bastante dulçor (bastante presença de vanilina que traz sensorial de baunilha) e especiarias mediana.

Castanheira (Bertholletia excelsa)

A castanheira é conhecida popularmente como “o carvalho brasileiro” por ser rica em vanilina, trazendo aromas associados a junção do tostado com baunilha, chocolate e caramelo. Após tosta reduz também sua intensidade vegetal de madeira nova e enriquece a percepção sensorial de castanhas. A castanheira está em extinção e tem seu corte proibido – fique atento de comprar apenas de tanoeiros com certificação.

Cumaru (Dipteryx Odorata)

O cumaru é rico em cumarina, matabólito encontrado em diversas plantas como a erva-doce e guaco. O seu aroma remete a baunilha com bastante intensidade. Por isso, a cumarina é amplamente usada na indústria de cosméticos e aromatizantes. O cumaru é de dulçor e especiaria elevados e resinosidade mediana. A amburana também é rica em cumarina, sendo muito mais popular na tanoaria brasileira para envelhecer bebidas do que o próprio cumaru.

Eucalipto (Eucalypto spp)

O eucalipto não é uma árvore nativa, mas se adaptou muito bem no Brasil. Vinda da Oceania, o eucalipto tem muitas espécies distintas e nem todas são adequadas para o envelhecimento de bebidas. Quando utilizada a espécie correta e com o tratamento devido o Eucalipto se aproxima das características sensoriais do carvalho europeu. Deixando de lado o preconceito de ser uma madeira pouco nobre para a tanoaria e com características que lembram “pasta de dente”, os dadinhos de eucalipto presente no kit proporcionaram uma bebida de dulçor elevado e equilíbrio entre frutado, castanhas e especiarias.

Ipê (Handroanthus sp.)

A tosta e tratamento são necessários para fazer do ipê uma madeira ideal para tanoaria, entregando maciez, diminuindo a intensidade tânica e aumentando dulçor. A madeira entrega sabores associados a nozes e castanhas.

Jaqueira (Artocarpus heterophyllus)

A árvore da jaqueira é comum no Brasil, mas sua origem é do sul da Ásia, provavelmente da Índia. Conhecida popularmente como fruta pão e usada para fazer doces, compotas, geléias, mais recentemente vem sendo usada para produção de barris para envelhecer bebidas, especialmente cachaça. A madeira traz doçura intensa acompanhada de especiarias.

Jequitibá (Cariniana micrantha)

Existem algumas espécies distintas de jequitibá utilizadas para armazenamento e envelhecimento de cachaça. A Cariniana legallis, conhecida como jequitibá-rosa, é uma árvore típica da Mata Atlântica com características sensoriais distintas de outros jequitibás encontrados pelo Brasil. A Cariniana micrantha, conhecido popularmente como castanha-de-macaco, e madeira presente no kit de envelhecimento, é uma árvore da floresta Amazônica. A madeira é considerada neutra, contribuindo para a bebida se tornar mais leve e agradável. Quando tostado, o jequitibá contribuí com elementos vanílicos que intensificam o dulçor da bebida.

Putumuju (Centrolobium tomentosum)

Conhecido também como ariribá, o Centrolobium tomentosum é uma árvore nativa da Mata Atlântica. A madeira brasileira não é muito usada na tanoaria para envelhecer bebidas, mas possui enorme potencial por trazer contribuição floral (talvez a maior de todas as madeiras presentes no kit). A tosta do putumuju também contribui para maior dulçor e aromas que lembram frutas vermelhas (morango).

Para quem é o kit “Seleção de Madeiras?

  • Para produtores de cachaça, rum, gin, vinho, cerveja ou outras bebidas alcoólicas ou não (azeite e pimentas, por exemplo) que querem maturar sua bebida em barris ou dornas mas ainda estão indecisos sobre quais madeiras usar. O kit de envelhecimento pode funcionar como um teste para se definir o perfil sensorial da bebida em período de tempo muito menor e com pouco investimento.
  • Para bartenders que querem testar novas misturas e envelhecer seus coquetéis
  • Para curiosos, amantes do
  • Para quem quer dar um presente criativo para quem gosta do DIY (Do It Yourself)! Tem coisa mais legal do que falar: “eu envelheço minha própria cachaça”.

 

R$85,00

Comprar

Informações Gerais

O que é

Kit para envelhecer bebidas como cachaça, vinho, cerveja, coquetéis. O kit inclui cubos de madeiras para testes de bebidas e envelhecimento acelerado

Quais são as madeiras

O kit possui 10 saquinhos com cerca de 100 dadinhos de 1 cm de lado das seguintes madeiras: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá e Putumuju.

Produtos Relacionados

VOLTAR PARA LOJA